A Polícia Federal prendeu nessa segunda-feira o homem flagrado por uma câmera de segurança quebrando o relógio de Dom João VI no Palácio do Planalto durante os atos golpistas de 8 de janeiro. Para chegar até o mecânico Antônio Cláudio Ferreira, de 30 anos, investigadores seguiram diferentes pistas, ouviram testemunhas, monitoraram imagens de rodovias e utilizaram tecnologia de reconhecimento facial.

A cena explícita de vandalismo no Planalto, revelada pelo programa Fantástico, da TV GLOBO, impulsionou uma série de denúncias anônimas sobre a identidade do golpista. Duas delas, que apontavam Ferreira como principal suspeito, foram feitas à 9ª Delegacia Regional de Polícia de Catalão, cidade localizada a 260 quilômetros da capital de Goiás.

Ao checar as informações, investigadores levantaram dados de um veículo do vândalo e vasculharam registros de câmeras de rodovias. Esse banco de dados apontou que o automóvel havia se dirigido para Brasília em 2 de janeiro e voltado para Catalão na madrugada do dia 9 do mesmo mês, logo após as invasões às sedes dos Poderes.

PUBLICIDADE

A partir daí, a PF começou a analisar a foto do suspeito. A imagem do vândalo foi submetida à avaliação de um programa de reconhecimento facial — que a comparou com vídeos do sistema de segurança do Planalto. O resultado foi atestado por dois peritos experientes.

“Assim, a Polícia Federal realizou laudo de revisão facial, o qual demonstrou semelhanças/correspondências entre o cidadão registrado nas câmeras e a pessoa indicada nas denúncias anônimas”, afirmou a PF no pedido de prisão de Ferreira encaminhado à Justiça.

 

Matéria completa: https://www.maisgoias.com.br/politica/como-a-pf-identificou-e-prendeu-o-homem-que-destruiu-o-relogio-de-dom-joao-vi-no-planalto/

Fonte: Mais Goiás

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *