Detran apreende 116 dedos de silicone usados para fraudar exames para tirar CNH

Uma operação feita pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), em parceria com a Polícia Civil do estado, apreendeu 116 dedos de silicone, em um local de prova e aula prática da categoria A e B, na Zona Leste de São Paulo, no bairro Aricanduva.

De acordo com o Dentran os moldes de silicone (dedos de silicone) eram utilizados para fraudar o sistema de controle biométrico do e-CNHsp no processo de emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Os moldes foram encontrados em três das dez cabines vistoriadas. Os espaços, são usados pelos Centros de Formação de Condutores (CFCs), também conhecidos como autoescolas.

Os moldes costumam ser usados quando a pessoa não comparece para realizar o exame prático e teórico, mas mesmo assim ela tem a presença confirmada por meio dos dedos falsos. Sendo assim, a presença do aluno era confirmada mesmo sem que ele estivesse no local das aulas. Segundo o Detran, a ação aconteceu na última quara-feira (19).

“As cabines eram ocupadas por mais de um CFC (Centro de Formação de Condutores), em revezamento, sendo todos os presentes relacionados como suspeitos de estarem cometendo irregularidade”, explicou o Detran em nota.

Ao todo seis pessoas foram conduzidas à delegacia para prestar esclarecimentos. A ocorrência foi apresentada na Delegacia de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), e o caso será investigado pela 4ª Delegacia de Crimes contra a Administração e Fraudes Decorrentes de Atividades de Trânsito.

Ainda conforme o Detran, se comprovado que esses instrutores e Centro de Formação de Condutores cometeram irregularidades, eles podem responder pelo crime de inserção de dados falsos em sistema (peculato digital) e por falsidade ideológica, além de perder o credenciamento junto ao Detran-SP.

Fiscalização encontra 700 dedos de silicone em CFC de Taboão

Outro caso parecido aconteceu em maio deste ano, quando o Detran apreendeu 700 dedos de silicone em um Centro de Formação de Condutores (CFC) em Taboão da Serra, Grande São Paulo, após denúncia enviada à ouvidoria.

Segundo o boletim de ocorrência, quatro aulas práticas foram iniciadas no sistema sem que o aluno e instrutor retornassem para o encerramento, o que pode indicar fraude.

Computadores, leitores biométricos e cartões de memória também foram apreendidos durante a fiscalização. Seis pessoas, entre responsáveis pelo CFC e testemunhas, foram levadas à delegacia para prestar esclarecimentos. O caso continua sendo investigado, informou o Dentran.

“O Detran-SP tem implementado soluções tecnológicas de monitoramento permanente com a capacidade de identificar e coibir irregularidades no processo de obtenção e renovação da CNH. Há projeto em andamento para a evolução dos motores de identificação biométrica nas etapas do processo de habilitação. Esta tecnologia visa assegurar que todas as etapas sejam realizadas pelos próprios candidatos, utilizando identificação multi biométrica (digitais, face e, até, íris) para combater fraudes, como o uso de biometria em moldes de silicone”, diz Talita Rodrigues, diretora de Habilitação.

FONTE: ITATIAIA