Os bancos de dados biométricos são alimentados constantemente através das atividades dos Institutos de Identificação. No estado de Pernambuco o Instituto de Identificação Tavares Buril realiza essas atividades desde 1909 através da identificação civil e criminal em um arquivo físico. Com a implementação do sistema ABIS, os arquivos do IITB serão migrados para o sistema digital. E atrelada a isso, ocorrerá a mudança da sistemática de arquivamento: do sistema de classificação primária para a análise de minúcia através dos algoritmos do ABIS. Até o momento não foi realizado um levantamento desse arquivo de dados, esse momento é oportuno para que dados importantes não se percam no arquivo físico e possam servir de comparação com os dados da nova plataforma tecnológica biométrica. Este foi um trabalho prospectivo que catalogou as frequências de tipo fundamental, variabilidade de fórmulas datiloscópicas e distribuição por sexo na população Pernambucana estudada.

Artigo+462+Final

Matéria completa: https://revista.rbc.org.br/index.php/rbc/article/view/462#.ZEu13XMmKeg.whatsapp

Fonte: Revista RBC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *