Outra técnica que tem se mostrado eficiente em corpos em estado avançado de decomposição usa também o avesso da pele para buscar a identidade do cadáver.

São usados produtos para enrijecer o tecido já em decomposição para que se recupere o traçado original da digital. Foi assim que foi identificado o corpo da professora Maria da Conceição Ribeiro Campos, morta pelo namorado no final de janeiro deste ano. O corpo dela foi encontrado uma semana depois do desaparecimento, em um matagal no distrito de Goialândia, em Anápolis.

Foi feita a higienização e tratamento com glicerina e ácido acético dos dedos, utilizada a técnica de fervura, para conseguir o confronto entre as digitais colhidas nos fragmentos do corpo dela com o prontuário enviado pela Secretaria de Segurança Pública do Tocantins.

Fonte: http://www.opopular.com.br/editorias/cidade/peritos-buscam-digitais-no-avesso-da-pele-de-cad%C3%A1vares-1.1224557

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *